' ANGICO NO AR

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

22 municípios do estado têm FPM bloqueado; dois são da Bacia do Jacuípe e um do território do sisal

Divulgação
A Secretaria do Tesouro Nacional (STN) divulgou uma relação com 167 municípios do Brasil com o Fundo de Participação Municipal (FPM) bloqueado por débitos. Do total, 22 cidades da Bahia estão irregulares. No Território do Sisal consta o Município de Cansanção e na Bacia do Jacuípe estão na relação Riachão do Jacuípe e Pé de Serra.

O bloqueio do repasse federal às prefeituras foi efetivado no último dia (13) e impede a liberação dos recursos nos dias 20 e 30 deste mês. O FPM é a principal fonte de receita das cidades de pequeno e médio porte.
Os municípios que aparecem na lista devem procurar a Superintendência da Receita Federal e providenciar a regularidade do débito que pode ser a inadimplência no Regime Geral de Previdência Social (RGPS), ou por inadimplência do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP).

Confiras as cidades da Bahia com FPM bloqueado:
  1. ADUSTINA – BA
  2. AIQUARA – BA
  3. BOA NOVA – BA
  4. CACHOEIRA – BA
  5. CAETITE – BA
  6. CANSANÇÃO – BA
  7. CORRENTINA – BA
  8. ENCRUZILHADA – BA
  9. ILHÉUS – BA
  10. ITAGI – BA
  11. ITAMARAJU – BA
  12. ITAMBÉ – BA
  13. ITAPÉ – BA
  14. ITARANTIM – BA
  15. LIVRAMENTO DE NOSSA SENHORA – BA
  16. MUCUGÊ – BA
  17. NOVO TRIUNFO – BA
  18. PE DE SERRA – BA
  19. PIRIPÁ – BA
  20. POTIRAGUA – BA
  21. PRESIDENTE DUTRA – BA
  22. RIACHÃO DO JACUÍPE – BA

Jovem do vídeo “acertou, mizeravi” é abandonado pela mãe em Feira de Santana; confira

O jovem que ficou famoso nas redes sociais com o vídeo “acertou, mizeravi” vive um drama. Florisvaldo Moreira, de 19 anos, está abandonado dentro de uma casa em Feira de Santana, a 110 km de Salvador. O detalhe é que ele foi deixado no imóvel pela sua própria mãe, que mora em uma residência próxima ao local.

Preocupados com a situação, vizinhos resolveram gravar vídeos e pedir ajuda nas redes sociais, por meio de uma “vaquinha” virtual. Uma das pessoas que resolveu entrar na corrente é Lílian Lago. “Eu morava na mesma rua em que a família dele morava e perdi o contato. Porém, no sábado [17/11], vizinhos de Lucas [como é conhecido], temendo a mãe dele, resolveram me chamar e fui até o local com outras pessoas e fizemos as imagens”, conta.

O objetivo é arrecadar R$ 100 mil para que uma casa seja comprada para o jovem. “Ele tem um pequeno distúrbio mental e precisa da ajuda de todos”, relata Lílian. Nas imagens gravadas pelos vizinhos, Florisvaldo aparece deitado em um pedaço de colchão, dividindo espaço com entulhos, pedaços de madeira e um prato já sem comida.

“FAMA”
Florisvaldo, ou “Pelezinho”, ficou conhecido nas redes sociais em 2018 após um vídeo dele ganhar milhões de visualizações. Um rapaz, que também grava tudo, faz perguntas básicas de matemática ao jovem, que erra. Mesmo com as tentativas, o autor, a todo o momento, fala seu bordão: “acertou, mizeravi”. Relembre:

Briga entre mulheres no terminal de ônibus viraliza nas redes sociais em Conquista-BA (vídeo)

Um vídeo circula nas redes sociais em Vitória da Conquista, principalmente no Whatsapp, mostrando a briga entre duas mulheres no local mais movimentado da cidade: o terminal de ônibus da Avenida Lauro de Freitas, isso mesmo!

O motivo da briga ainda não foi descoberto pela nossa reportagem. Muitas pessoas que estavam no local se preocuparam mais em filmar do que tentar acabar com a briga. O suposto motivo, segundo ambos os relatos, seria ciúmes,ainda conforme registros,após a separação da primeira briga, rolou uma segunda parte com socos, tapas e puxões de cabelo.
Veja o vídeo abaixo:
Fonte: Blog do Rodrigo Ferraz

Cratera em Vera Cruz cresce e chega a 86m de comprimento (vídeo)

O comprimento e largura da cratera que se abriu perto da vila de Matarandiba, na cidade de Vera Cruz, Ilha de Itaparica, na Bahia, cresceram cerca de 2 metros nos últimos dois meses. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (19) pela Agência Nacional de Mineração (ANM), durante reunião realizada com os moradores da comunidade.

De acordo com o órgão, atualmente, o buraco tem 86 metros de comprimento e 36 de largura. Apenas a profundidade diminuiu para 40 metros, devido ao acumulo dos detritos que caem com o crescimento do buraco. Em setembro, a erosão tinha 83,5 metros de comprimento, 34,4 de largura e 41,2 de profundidade.

Ainda segundo a ANM, a causa do surgimento da cratera ainda não foi descoberta, mas o risco para a vila está descartado. Contudo, a Defesa civil está montando um plano de contingência, em caso de emergência. Estudos seguem sendo realizados no local.

A erosão foi descoberta pela Dow Química, que atua na área onde o buraco surgiu, no final de junho deste ano, durante um trabalho de rotina, e tinha 69 metros de comprimento. A cratera fica no meio de uma mata nativa na localidade de Matarandiba e está a cerca de 1 km do local onde vivem os moradores, que temem. Representantes da empresa também estavam na reunião realizada nesta segunda-feira.

O acesso à área onde o buraco se formou é difícil por conta da mata fechada, mas, ainda assim, toda a área está isolada e passou a ser vigiada para evitar a presença de curiosos. A Dow utiliza a região para extração de salmora, uma mistura de água e sal usada na fabricação de produtos químicos - a salmora é retirada em seis poços a uma profundidade de 1,2 mil metros. A atividade da empresa pode estar ligada ao surgimento da cratera. A situação está sob investigação.

Em setembro, o Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) instaurou inquérito para apurar as causas da abertura da cratera. O processo foi instaurado pelas promotores de Justiça Eduvirges Tavares e Ubirajara Fadigas, que atuam na área do Meio Ambiente. O MP informou também que o objetivo da ação é preservar as vidas das pessoas e proteger o meio ambiente.
Fonte: G1/TV Bahia
Para ver matéria relacionada clicar aqui.

Fernando Haddad (PT) vira réu por corrupção e lavagem de dinheiro

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) virou réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, após o juiz Leonardo Barreiros, da 5ª Vara Criminal da Barra Funda, aceitar a denúncia proposta pelo promotor Marcelo Mendroni, do Gedec, Grupo Especial de Delitos Econômicos.

A denúncia do Ministério Público partiu de delações feitas na Operação Lava Jato. Além de Haddad, outras cinco pessoas viraram rés na ação, incluindo o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto e o doleiro Alberto Youssef (veja lista ao final da reportagem). O MP também havia feito denúncia do crime de formação de quadrilha, mas este trecho da acusação não foi aceito pela Justiça.

De acordo com a denúncia, entre abril e maio de 2013, Ricardo Ribeiro Pessoa, presidente da empreiteira UTC Engenharia S/A, recebeu um pedido de Vaccari da quantia de R$ 3 milhões.

O valor serviria para o pagamento de uma dívida de campanha do então recém-eleito prefeito de São Paulo Fernando Haddad, contraída com gráfica que pertencia a ex-deputado estadual do PT Francisco Carlos de Souza, o Chicão. Nestas condições, João Vaccari Neto, segundo a acusação, representava e falava em nome de Fernando Haddad.

O ex-prefeito de São Paulo e candidato derrotado do PT à Presidência da República já negou reiteradas vezes ter cometido irregularidades e diz que a denúncia se baseia em delação de quem teve "interesses contrariados"

'Contabilidade paralela'
Ricardo Pessoa e Fernando Haddad, segundo a denúncia, se reuniram algumas vezes durante a campanha eleitoral no decorrer de 2012. Ainda segundo a denúncia, constou na agenda de Fernando Haddad já no exercício do mandato de prefeito que ele recebera Ricardo Pessoa pessoalmente, no dia 28 de fevereiro de 2013.

Ricardo Pessoa, segundo o apurado pelo MP, mantinha uma espécie de “contabilidade paralela” junto a João Vaccari, relativa a propinas pagas em decorrência de contratos de obras da UTC Engenharia S/A com a Petrobras, com uma “dívida” a saldar, em pagamentos indevidos de propinas, da ordem de R$ 15 milhões.

"Ocorre que a solicitação de R$ 3 milhões teria sido atendida. Sendo assim, Ricardo Pessoa a prometeu e ofereceu diretamente para João Vaccari Neto e indiretamente para Fernando Haddad. Na sequência e de modo a viabilizar o pagamento, Ricardo Pessoa e João Vaccari Neto trocaram informações a respeito dos números de telefone dos seus prepostos", diz a denúncia.
Ainda segundo o MP, "para operacionalizar aquele pagamento indevido, João Vaccari Neto indicou e lhe passou o número de telefone celular de Francisco Carlos de Souza (deputado estadual 'Chicão'). Além disso, o MP aponta que Pessoa também orientou João Vaccari Neto no sentido de que os contatos para o pagamento deveriam ser realizados através de seu diretor financeiro, Walmir Pinheiro Santana, que negociou o valor para diminuí-lo para R$ 2,6 milhões.

O MP afirma que um esquema foi montado de modo que parte do dinheiro de uma "conta de caixa dois" que empreiteira UTC Engenharia S/A detinha junto com o doleiro Alberto Youssef era usado para pagamento a gráficas.

Veja a lista de réus:

João Vaccari Neto - corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Francisco Carlos de Souza - corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Ricardo Pessoa - corrupção ativa

Walmir Pinheiro Santana - corrupção ativa

Alberto Youssef - lavagem de dinheiro

O que dizem os réus

Por meio de nota, a assessoria de Haddad informou nesta segunda-feira (19) que "a denúncia é mais uma tentativa de reciclar a já conhecida e descredibilizada delação de Ricardo Pessoa".

"Com o mesmo depoimento, sobre os mesmos fatos, de um delator cuja narrativa já foi afastada pelo STF, o Ministério Público fez uma denúncia de caixa 2, uma denúncia de corrupção e uma de improbidade. Todas sem provas, fincadas apenas na desgastada palavra de Ricardo Pessoa, que teve seus interesses contrariados pelo então prefeito Fernando Haddad. Trata-se de abuso que será levado aos tribunais", completa a nota.
O advogado de João Vaccari Neto, Luiz Flávio D’urso, afirmou por meio de nota que seu cliente "jamais foi tesoureiro de campanha e nunca solicitou qualquer recurso para campanha de quem quer que seja". Segundo D'Urso, "o Sr Vaccari foi tesoureiro do partido (PT) e dessa forma solicitava doações legais somente para o partido, as quais eram realizadas por depósito em conta bancária do partido, com recibo e com prestação de contas às autoridades".

"O Sr Vaccari jamais solicitou ou recebeu qualquer recurso em espécie para o PT, muito menos a título de propina. Quem eventualmente o acusa é um Delator, que nada prova, pois tratam-se de mentiras para obter diminuição de pena", conclui a nota.
O advogado de Alberto Youssef, Antônio Figueiredo Bastos, disse por telefone que não vai comentar.
A reportagem tenta contato com os demais réus.
Fonte: G1

Vídeo mostra jovem sofrendo queda de moto durante racha em Jacobina

No final da tarde deste domingo, 18 de novembro de 2018, um jovem aparentando ter entorno de 20 anos sofreu queda de moto na BA 132 na altura do acesso para a Malhadinha, no município de Jacobina.

Segundo informações, o jovem participava de um racha, vindo a tocar lateralmente com outro motociclista, sofrendo queda na pista.

Ainda de acordo com informações, o jovem que trafegava em 140 Km/h foi socorrido com várias escoriações pelo corpo para a UPA 24h, onde foi atendido e liberado pela equipe de plantão.

Nas redes sociais circula um vídeo gravado no momento do acidente e as pessoas ficam surpresas, pelo fato do jovem não ter sofrido fraturas na queda violenta.
Fonte: Augusto Urgente!

Vende-se um terreno no distrito de Angico

Terreno medindo 6X20 (seis metros de largura por vinte metros de comprimento), bairro Ouro Verde, rua Princesa Isabel, distrito de Angico, município de Mairi-BA.
Interessados entrar em contato pelo numero: (74) 99961-4348. e falar com Carlon.

Golpe do auxílio-reclusão desvia milhões do INSS

Foto: © PixaBay
Uma investigação da Polícia Federal (PF) desmantelou a ação de quadrilhas de São Paulo, Rio de Grande do Sul e Sergipe que aplicavam o golpe do auxílio-reclusão. Os bandidos utilizavam-se de documentos falsos para desviar milhões de reais do INSS. Como apurado pelo 'Fantástico', da 'TV Globo', as quadrilhas forjavam vínculos de empregos entre presidiários e empresas de fachada e falsificavam documentos, como o atestado de reclusão - necessário para solicitar o benefício junto ao INSS - ou até certidões de nascimento e casamento, para a criação de dependentes do preso. A quadrilha usava documentos de pessoas que, em muitos casos, não sabiam que seus nomes estavam envolvidos na fraude. De acordo com a reportagem, um servidor do INSS também fazia parte da quadrilha, facilitando a liberação do benefício. O funcionário e mais três suspeitos foram presos. Quatorze pessoas foram denunciadas.

O benefício
O auxílio-reclusão é um benefício pago pelo INSS aos dependentes (cônjuges, companheiros ou filhos com até 21 anos) de uma pessoa presa em regime fechado ou semiaberto, desde que ela trabalhe, contribua para a Previdência e seja de baixa renda (com salário de até R$ 1.319,18 mensais). De janeiro a outubro de 2018, foram pagos pouco mais de R$ 510 milhões em auxílio-reclusão para as famílias de 47 mil presos.
Fonte: Noticias ao Minuto
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...