' ANGICO NO AR: Quatro filhos de policiais estão entre os mortos da chacina em Porto Seguro

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Quatro filhos de policiais estão entre os mortos da chacina em Porto Seguro

Das oito vítimas de uma chacina em Porto Seguro, no Extremo Sul da Bahia, na noite deste domingo, 5, quatro são filhos de policiais. Os irmãos Vinícius e Victor Bispo são filhos de um policial civil. Vinícius era cabo de Aeronáutica. Outra vítima foi identificada como Igor Lélis, 22 anos, que era filho de um policial militar. Segundo o site Radar 64, há outro filho de um PM entre as vítimas.

Mais três jovens mortos tiveram os nomes revelados. São eles: Felipe Ricardo Lopes Borges, 27 anos, Gabriel Lobo, 22 anos, e Caio Lancaster, 21 anos. Não há informações se o parentesco dos mortos com policiais teria relação com o crime, que ocorreu em uma “festa paredão”.

O imóvel onde o crime aconteceu era alugado para realização de festas e já tinha sido alvo de bandidos em dezembro de 2016. De acordo com o major Anacleto França, comandante do 8º Batalhão, criminosos atiraram na fachada da casa.

As vítimas participavam de uma festa em uma casa no bairro Porto Alegre I, quando o imóvel foi invadido por cerca de 10 homens. Eles atiraram contra as vítimas e alguns corpos foram achados do lado de fora do imóvel, indicando uma tentativa de fuga do atentado.

Há relatos de que os criminosos usavam armas pesadas, como fuzil e metralhadora. Eles fugiram após o crime e não foram identificados. A caminhonete usada na fuga foi encontrada abandonada nesta segunda, 6, dentro da cidade.

Além dos mortos, um homem também ficou ferido na ação e foi levado para o Hospital Luís Eduardo Magalhães. O estado de saúde dele é considerado crítico.

Reforço
Por conta deste crime na “festa paredão”, o policiamento foi reforçado em Porto Seguro. Equipes da 23ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/Eunápolis) estão nas ruas do bairro. Também foram encaminhadas unidades especializadas da PM para o município com o objetivo de tentar prender os envolvidos na chacina.

“Estamos ouvindo testemunhas e apurando as informações colhidas com populares. Sabemos que as vítimas participavam de uma festa na orla da cidade, quando decidiram voltar para a residência onde aconteceram os crimes”, contou o responsável pela 23ª Coorpin, delegado Moisés Damasceno.

Informações sobre este crime podem ser comunicadas pelo telefone 181 (Disque Denúncia do interior).

Fonte: A Tarde