' ANGICO NO AR: Trajetória criminosa do homem que morreu em troca de tiros com a PM

sábado, 4 de junho de 2016

Trajetória criminosa do homem que morreu em troca de tiros com a PM

abb
A trajetória criminosa de Thiago Alves Ramos, 32 anos, vulgo “Thiago Doido”, um jovem que sempre viveu em conflito com a Lei na região Oeste da Bahia, terminou numa troca de tiros com policiais da RONDESP de Santa Maria da Vitória-BA, na manhã de sábado, 03. Seu comparsa, Everaldo de Jesus Santos ficou ferido e foi socorrido pelo SAMU, em estado grave, para o Hospital Dr. José Borba.

Os policiais militares escoltavam um Oficial de Justiça, que foi ao local determinado a cumprir um Mandado Judicial expedido pela comarca daquele município contra Thiago. Ele e seu companheiro atiraram contra os policiais, que foram obrigados a revidar.

ad
ac
No local, a guarnição apreendeu dois revolveres de calibre 38, uma balança de precisão, grande quantidade de maconha prensada, crack e cocaína, além de dinheiro. Todo material foi apresentado na DP.
aab
Thiago era foragido da Justiça e possuía vasta ficha criminal no complexo policial de Barreiras, por furtos, roubos, desacato à polícia, tráfico de drogas e latrocínio em Luis Eduardo Magalhães. Também cumpriu pena em um complexo penitenciário de Salvador/BA.

Os dados registrados nos computadores da delegacia mostram que desde a adolescência o mesmo já possuía comportamento rebelde e violento. A dependência química a partir da infância teria sido o fator o predominante para desencadear a formação de sua personalidade agressiva, capaz de cometer crimes hediondos. “Ele agredia os companheiros de cela na cadeia, além de ameaçar e desafiar a polícia dentro e fora da delegacia”, comentou um agente investigador.

Sua primeira passagem pela cadeia aconteceu no dia 04 de fevereiro de 1999 por roubo numa livraria evangélica, na Rua Custódia Rocha de Carvalho, no centro desta cidade. Até o dia 25 de julho de 2015 as estatísticas da 11ª COORPIN/Coordenadoria Regional de Polícia do Interior, já tinham mais de 40 registros de ocorrências policiais contra ele.

O ex-presidiário foi visto pela última vez nesta cidade, após a morte de sua sobrinha, a garota Hanna Aurelina Alves Ramos, que foi atingida com dois tiros de pistola ponto 40, na axila e na perna do lado direito, durante tentativa de homicídio contra seu pai e um dos seus tios, em março de 2014.

Cuidado, imagem forte aqui.
Fonte: Alô Alô Salomão