' ANGICO NO AR: Perdi tudo', diz marido de pastora morta; ex-colega de igreja é suspeito

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Perdi tudo', diz marido de pastora morta; ex-colega de igreja é suspeito

O marido da pastora e professora da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Marcilene Oliveira Sampaio, encontrada morta em Vitória da Conquista, falou sobre a tragédia durante velório da esposa, nesta quinta-feira (21). Carlos Eduardo de Souza, que também é pastor, estava no carro com a esposa e a sobrinha do casal, quando foram sequestrados. Apenas ele conseguiu fugir após forçar um acidente. Dois foram presos e um pastor, apontado como mandante do crime, é procurado pela polícia.

Segundo o sobrevivente, ele e a mulher tinham uma igreja evangélica no bairro de Iracema. A polícia investiga se o crime foi pensado como vingança, motivada pelo fato do pastor suspeito ter perdido fiéis após desentendimento com o casal, que mudou de igreja. "Ela era uma pessoa que amiga, uma esposa, uma professora, uma pastora de 'ovelhas' e a gente perdeu tudo. Nós perdemos tudo", disse.
Além da pastora, também foi morta a sobrinha dela, Ana Cristina Santos Sampaio. Marcilene e a sobrinha teriam se desvinculado da igreja dele, depois de um desentendimento, para fundar uma nova e levado a maioria dos fiéis.

Família, amigos e fiéis prestaram homenagens a Marcilene no velório em Vitória da Conquista. O corpo da sobrinha permanece no Departamento de Polícia Técnica (DPT) e deve ser levado para o estado de São Paulo, onde ela morava.


O delegado de Conquista, Marcus Vinicius, diz que os policiais seguem nas buscas pelo suspeito de planejar o crime. "Nós estamos com equipe desde ontem [quarta-feira, 20] sem parar, se revezando para prender em flagrante o pastor. Se não, vamos pedir a prisão do mesmo pela Justiça criminal de Vitória da Conquista", afirma.

O crime
A professora Marcilene Oliveira Sampaio, o marido e a prima tinham acabado de sair da igreja, na noite de terça-feira (19), e estavam a caminho do sítio onde moram quando o carro em que estavam apresentou um defeito na estrada que liga ao município de Barra do Choça.

Carlos Eduardo disse à polícia que desceu do veículo e abriu o capô para verificar o que tinha acontecido quando foi abordado por três homens que chegaram em outro carro. Entre os suspeitos estava o pastor apontado como mandante do crime.

Segundo a polícia, a intenção dos criminosos era matar toda a família no sítio em que as vítimas residiam. A suspeita é de que Marcilene e os parentes já estavam sendo seguidos desde o momento em que deixaram a igreja.

Fonte: G1